Dr PICAS: A "industrialização do medicamento"

7 02 2011

Dr. Josep Manel paicas Vidal

Diretor de Sistemes que les TIC de l’Hospital de la Santa Creu I Sant Pau

Prática de saúde, é submetido por muitos anos, para uma discussão que tem mais ou menos radicais proponentes, em suas duas abordagens possíveis, é uma ciência ou uma arte? Certeza que encontraríamos argumentos a favor de ambos os conceitos, por um lado, a necessidade de conhecimento científico, baseia-se na relação causa-efeito, em provas de resultados ou de análise comparativa com a robustez estatística; No entanto podemos usar argumentos que sustentam a segunda abordagem, a criatividade necessária, a intuição a considerar com pesos diferentes, um conjunto de variáveis que, finalmente, levar-na tomar uma decisão ou bem sucedido desempenho diagnóstico terapêutico.

Provavelmente, Este tópico, Encontra-se na base do pouco progresso que poderíamos chamar a industrialização das práticas de saúde em geral e em particular da medicina, entendida como a padronização dos processos que visam obter um resultado englobado em um produto chamado saúde; Esse nível é necessário o uso de tecnologias da informação e comunicação; No entanto, Se compararmos com outros sectores o avanço é exasperadamente lenta, Se levar em ferramentas de conta, com todo o seu potencial e real dos custos já estão aqui.

É difícil concluir as razões, Nós poderia apontar para alguns: a grande intervenção de pessoas no processo de (mais do que o 75 % custos de saúde global, em hospitais e cuidados de saúde primários são dedicadas a dar a volta ao recursos humanos, maioria deles altamente qualificado), o grande número e complexidade dos processos envolvidos em um problema de saúde específico,e a consideração que os gastos de TIC é um investimento postponable (muito mais em tempos de restrições na despesa)

No entanto, algum favor de vento começa a soprar, a necessidade de tornar menos burocrática, de re-ingenierar e otimizar os processos de (introdução precoce de métodos tais como sistemas de produção LEAN ou seis Sigma) e talvez o mais poderoso: a necessidade de "não fazer mal" que iria continuar ao conceito de qualidade e segurança do paciente. Ambos parecem ser o que eles estão tomando os primeiros passos, Exigirá políticas de gerenciamento de mudança profunda, Se você não quer chegar atrasado ou ancoradas por inércia e, às vezes, a resistência gerada pela intervenção de um grande número de pessoas, com uma grande variabilidade de funções e conhecimentos.

Enfim, comentar que é absolutamente necessário promover e promover novas iniciativas, que nos colocou no caminho certo e ao mesmo tempo, servir como uma cama para gerar a necessária mudança cultural, para o surgimento de novas e mais avançadas propostas.


Ações

Informações

Respostas para “Dr PICAS: A "industrialização do medicamento"”

19 09 2011
Zoila (16:00:11) :

Você o que ele propõe é desumano cuidados médicos! Muita tecnologia e sem calor…….. Profissionais de saúde não são robôs e não trabalham em bandas de produção! Não devemos confundir o calor humano com o calor emitido pelo computador.
Zoila Perez.

Deixe um comentário

Você pode usar estas tags : <"a href ="" title = "" ""> <abbr title = ""> <título sigla = ""> <(b)> <BLOCKQUOTE cite = ""> <Cite> <código> <o DateTime = ""> <EM> <Eu> <q citar = ""> <greve> <forte>